março 25, 2010

A religião do antigo egito
A Religião estava sempre presente na vida do Egito antigo. Os egípcios acreditavam que deuses e deusas participavam de todas as atividades humanas, do nascimento à morte.
À medida que evoluiu, cada cidade adotou uma divindade especial. Numa parte do delta, a população adorava Hórus, o deus do céu. Em outro local, as pessoas cultuavam Osíris, o deus da vegetação, que mais tarde se tornou deus dos mortos.
Heliópolis (cidade do sol, em grego), perto do Cairo, era o centro do culto de Rá, ou Rê, o deus do sol. Entre outros membros da família divina de Rá estavam Osíris e sua mulher, Ísis; Set, o irmão maligno de Osíris, e sua mulher, Néftis; Shu, deus do ar; Tefnut, deusa da umidade; Geb, deus da terra; e Nut, deusa do céu.
A população de Tebas adorava Amon, o deus do ar e da fertilidade. Depois que Tebas foi transformada no centro político do império, Amon tornou-se a divindade principal. O povo passou a identificar Amon com o deus do sol, Rá, e assim Amon ficou conhecido como Amon-Rá.
O povo do Egito antigo dava grande importância à preparação para a vida depois da morte. Por isso, construía túmulos de pedra e os enchia de roupas, alimentos, mobília e jóias, para que fossem usados no outro mundo. Embalsamava os mortos e envolvia seus corpos com pano. Esses corpos preservados são chamados de múmias. Fonte
 Construído por Amenhotep III, no século XIV a. C., este jardim interno leva à câmara mortuária dos fundos do complexo do templo de Tebas, onde os sacerdotes uniam misteriosamente o rei com sua essência divina. Transformado, o deus-homem reaparecia então para ser homenageado por uma multidão extasiada.

Nossas aulas têm como objetivo resgatar a ligação da mulher com as suas raízes ancestrais, temos como compromisso a excelência na formação de encantadoras de ritmos com uma nova abordagem da dança do ventre. Ela volta aos rituais femininos, ao culto dos antigos haréns, ao estudo das Deusas, ao auto-conhecimento, da criatividade, da vitalidade, da cura, do amor, da mulher, do verdadeiro sentido em dançar ao som de ritmos orientais

1 comentários:

Seu comentário é bem-vindo!

Ao dançar, nos reencontramos com tribos do nosso inconsciente adormecido...Uma mistura de conceitos, de ideias, de movimentos, geram a dança. Uma expressão cultural respeitada e admirada por todas nós. Uma viagem pelas tribos ancestrais da grande mãe, da natureza feminina... Descubra nossas aulas de Dança Tribal

Fale Conosco
Al Jawhara
peça no contato
São Paulo, Brasil